Publicado por Redação

Algumas plantas, graças aos seus componentes, conseguem ser ótimas aliadas da saúde humana, pois tratam e previnem o organismo contra determinadas doenças. Muitas vezes são usadas como tratamentos alternativos, sendo substitutas de remédios laboratoriais que, por sua vez, causam dependência e até mesmo efeitos colaterais diversos.

Uma dessas ervas, capazes de tratar os seres humanos de algumas doenças, chama-se acanto. Planta originária da região mediterrânea de Portugal e do noroeste da África, cresce em áreas secas e é tolerante à seca e à sombra. É também considerada uma das primeiras espécies a serem plantadas em jardins e por sua beleza inspirou a Arte Corintiana, nas colunas da arquitetura greco-romana.

Acanto

Foto: Reprodução/ internet

A planta acanto

Essa é uma planta da família acanthaceae, e tem como nome científico acanthus mollis. Pé-de-urso, como também é conhecida, popularmente, cresce até dois metros de altura, possui folhas de até um metro de comprimento de cor verde escuro. Além disso, suas flores são tubulares, possuem espinhos e são das cores branca, lilás e rosa. E floresce no final da primavera ou no início do verão.

Propriedades da planta

  • Adstringente;
  • Cicatrizante;
  • Analgésico
  • Laxante;
  • Anti-inflamatório;
  • Antidiarreico;
  • Expectorante;
  • Aperiente;
  • Emoliente;
  • Colerético;
  • Demulcente;
  • Detersiva;
  • Vulnerário.

Benefícios da acanto

Através das suas propriedades, essa planta pode ser usada no tratamento de diversas doenças que afetam o sistema respiratório, a saúde íntima das mulheres e ainda trata problemas de cunho externo. Sendo assim é eficaz remédio natural para bronquite, resfriados, gripes, faringites. Elimina distrofias da mucosa vulvovaginal, regulariza o fluxo menstrual e ainda trata a vulvovaginite. É também um forte medicamento de cura em casos de feridas, queimaduras, contusões e eczemas na região cutânea.

Além de todas essas ações benéficas ao corpo humano, a acanto também trata outras doenças que afetam os sistemas do corpo humano, como a colecistite, disfunção hepatobiliar, colelitíase, herpes e retocolite. Seus princípios ativos são uma vantagem à parte, pois carregam em si elementos como sais minerais, ácidos orgânicos, mucilagens, resinas, taninos, glucídeos e princípio amargo.

Modos de preparo

Se o objetivo é conseguir um tratamento eficaz para os problemas de saúde feminina, de cunho respiratório e os que se referem ao estômago, a receita ideal é a infusão com uma grama de folhas secas ou raízes em uma xícara de água fervente. Deixe em ebulição por aproximadamente 10 minutos, depois espere esfriar e tome a bebida duas vezes ao dia.

Porém, se a intenção é curar ferimentos ou alguma lesão na pele, a dica é fazer uso das folhas em formas de cataplasma, compressa ou lavagens. Repita o procedimento a cima, mas ao invés de beber o chá use o líquido para lavar a região afetada. Outro passo importante, e que garante uma recuperação mais rápida, é usar as folhas da infusão em cima do machucado.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.