Publicado por Redação

O babaçu é uma palmeira que possui frutos de cujas sementes é possível extrair um óleo muito usado na culinária, bem como na fabricação de combustíveis. Mas o babaçu possui muitos outros benefícios, inclusive medicinais. Conheça um pouco mais sobre o babaçu agora mesmo!

Origem

O babaçu, conhecido cientificamente como Orbignya phalerata, é uma planta que pertence à família das Arecaceae. É conhecida popularmente como babaçu, baguaçu, aguaçu, coco-de-macaco, coco-de-palmeira, coco-naiá, coco-pindoba, palha-branca, guaguaço entre outros.

É uma palmeira de origem brasileira e pode ser encontrada nos estados do Maranhão, Piauí, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, Bahia e Mato Grosso. Suas partes são muito úteis, podendo ser utilizadas na construção de casas e pontes, em bebida fermentada e também para a alimentação.

Características

O babaçu é uma palmeira que pode chegar a atingir os 20 metros de altura. Dos seus componentes é possível se aproveitar muitas coisas, como o coco, usado para fazer carvão, e as folhas, em cobertura, paredes, portas e janelas. Da palha é possível fazer artesanatos, o leite e o óleo extraídos de suas amêndoas são empregados na culinária e também na produção de sabonetes.

Babaçu

Foto: Reprodução

Propriedades e usos

Entre as principais propriedades do babaçu, temos sua ação anti-inflamatória, ativador de macrófagos in vitro e in vivo, analgésica, imunomoduladora e contra o hipertireoidismo.

O mesocarpo do babaçu (coco) é indicado para dores abdominais, constipação, obesidade, leucemia, reumatismo, ulcerações, tumores, inflamações de útero e ovários, artrites e cólicas menstruais. É usado ainda como suplemento alimentar.

O babaçu possui constituintes químicos muito importantes, como triterpenos, taninos, açúcares, saponinas e compostos esteroides. Há estudos que demonstram que ele é um bom cicatrizante, protetor gástrico, anti-trombose e antimicrobacteriano.

Das suas sementes é possível extrair o óleo de babaçu, um componente muito importante terapeuticamente e bastante utilizado na culinária, as suas folhas costumam ser consumidas na forma de tinturas e chás.

O extrato etanólico do babaçu já foi testado em linhagens de células humanas leucêmicas, em tumores de próstata e câncer de mama. Esse extrato promoveu a diminuição da viabilidade em todas estas doenças.

O babaçu possui ainda atividade antioxidante e a capacidade de sequestrar os radicais livres, protegendo as células, o que, além de proteger contra o câncer, ajuda a retardar o envelhecimento precoce.

Contraindicações e efeitos colaterais

Até o momento não foram relatados efeitos colaterais ou contraindicações sobre o uso do babaçu.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.