Publicado por Redação

Baicurú, de nome científico Statice brasiliensis, é o nome dado a uma planta pertencente à família das Plumbaginaceae. Também popularmente conhecida como guaicuru e alecrim de pântano, esta erva é nativa do Sul do Brasil (principalmente do Rio Grande do Sul), sendo também encontrada em outros países como na Argentina, Uruguai, Paraguai e EUA. Uma das 320 espécies de Plumbagináceas, o baicurú vegeta no litoral, parcialmente enterrado na areia e às vezes é coberto pelo mar. Possui raiz subcilíndrica e longa; a casca externa apresenta-se marrom fibrosa e granular; e sua flor lembra a da saxifraga. Esta planta perene é popularmente conhecida como adstringente e pela sua ação nos engurgitamentos glandulares. A parte utilizada do baicurú são os seus tubérculos e as suas folhas.

Baicurú

Foto: Reprodução

As propriedades medicinais

O baicurú é utilizado na medicina popular e na indústria farmacêutica como anti-inflamatório, bactericida e adstringente.

Os benefícios e as indicações de uso

Devido às suas propriedades, o baicurú traz bons resultados no tratamento dos seguintes casos:

  • Aftas;
  • Feridas na boca;
  • Diabetes;
  • Dismenorreia;
  • Corrimento uterino;
  • Esterilidade;
  • Inflamação no útero e no ovário;
  • Úlcera;
  • Existem relatos populares de aumento da fertilidade feminina após 1 mês de tratamento.

Como utilizar o baicurú?

O baicurú é usado nas formas de infusão ou decocção das folhas, para uso local. A posologia recomendada é de 10g de raízes frescas ou 5g de raízes secas (1 colher de sopa para cada xícara de água) em decocção, até três vezes ao dia, com intervalos menores que 12 horas. Existem também as cápsulas de 30g, sendo que a indicação de consumo é de uma antes das principais refeições. Há, ainda, o extrato líquido, utilizado segundo as especificações do laboratório que fabricou o produto.

Contraindicações e cuidados

Não há relatos sobre o uso do baicurú nos períodos da gestação e da amamentação, por isso, é recomendado evitar o seu uso nestas condições, especialmente nos três primeiros meses. Lembre-se que um médico especialista deve ser consultado antes do início de qualquer tratamento!

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.