Publicado por Redação

A planta conhecida como beldroega pertence à família das portulaceae, e também pode ser encontrada com o nome de portulaca, porcelana e caaponga. A erva carnuda pode alcançar entre 10 e 30 centímetros de comprimento, é ramosa e rasteira. Com folhas sésseis, carnudas, obovais e agrupadas nas extremidades dos ramos, a planta conta ainda com flores miúdas terminais que podem aparecer solitárias ou aglomeradas. Seu fruto é um pixídio, e a planta cresce em terrenos cultivados.

A planta é comumente confundida com a flor que é conhecida pelo nome de “onze-horas”, mas a principal diferença é que as flores da beldroega são mais miúdas e insignificantes.

Originária da Europa, a planta é atualmente espontânea em quase todas as regiões no Brasil, crescendo normalmente em jardins, hortas, terrenos baldios ou cultivados. Semelhante em propriedades e sabor ao espinafre, a planta é praticamente desconhecida como verdura.

Beldroega

Foto: Reprodução/ internet

Benefícios e propriedades

As partes usadas da planta são os talos e as folhas, que têm propriedades emoliente, diurética, emenagoga, laxante e anti-inflamatória, além de ser antipirética, antibacteriana, vermífuga, colerética, entre outros benefícios.

O suco das folhas pode ser usado como emoliente e resolutivo em inflamações, queimaduras, eczemas, erisipelas e queda de cabelo. A polpa pode ser usada como antioftálmica, vulnerária e vermífuga quando usada internamente.

A planta pode ser usada ainda para o tratamento de afecções do fígado e da bexiga, além dos rins e no tratamento do escorbuto. Pode ser usado para aumentar a produção de leite de lactantes, além de tratar inflamações dos olhos e combater os vermes intestinais. Amassando as folhas e talos, estes podem ser aplicados sobre queimaduras aliviando as dores e sobre feridas, ajudando na cicatrização.

Como consumir?

Para preparar o chá, use entre 50 g e 100 g para cada litro de água. Consuma entre 4 e 5 xícaras ao dia.

Pode ser consumida na forma de salada ou sucos, além das sementes que podem ser ingeridas.

Para gestantes, a dose indicada é de 10 g dos talos frescos para cada xícara de água, que deve ser consumido até três vezes ao dia, mas sempre com intervalos menores que 12 horas.

Contraindicações e interações medicamentosas

Não foram encontradas contraindicações e efeitos colaterais relacionados à planta beldroega, assim como também não foram encontradas interações medicamentosas.

Atenção: sempre antes de fazer uso de um medicamento, mesmo que natural, procure orientação médica.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.