Publicado por Redação

De nome científico agrimonia eupatoria, a agrimônia, também conhecida como eupatória, erva dos gregos e erva hepática, é uma planta medicinal que pertence à família das rosaceae.

Seu nome é derivado do grego e do anglo-saxão, e seu primeiro uso para fins medicinais foi no tratamento de problemas oculares. Eupatoria, nome da espécie da planta, refere-se a um antigo rei persa chamado Mithrades Eupator, que era herborista.

A planta atinge até 1 metro de altura e tem filhas em tons de verde escuro longas e penduladas, divididas em pares. Diminuem ao longo dos caules e, no topo, chegam a apenas 7 centímetros de comprimento. Forma espigas de flores amarelas e seus frutos nascem aderentes ao caule, cobertos de pelos eriçados que grudam à roupa do mesmo jeito que o picão.

Agrimônia

Foto: Reprodução/ internet

Nativa da Europa, Ásia temperada e América do Norte, as partes utilizadas da planta são as folhas e as sumidades floridas. Pode ser encontrada para comprar em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação.

Benefícios e propriedades

A planta é um medicamento natural bastante valioso quando nos referimos ao tratamento do sistema digestivo. Isso porque estimula as secreções digestivas do fígado. Além disso, a planta é usada tradicionalmente na medicina popular chinesa para conter o fluxo menstrual excessivo nas mulheres. Pode ser usada ainda para o tratamento de feridas, ajudando interna e externamente na coagulação sanguínea. Pode ser usada para lavagem de contusões, deslocamentos, doenças oculares e urticárias, e como gargarejo ajuda a tratar dores de garganta. Pode ser usada como supositório para tratamento de diarreia e hemorroidas.

Seu uso se aplica ainda para o tratamento de abcessos, amigdalite, angina, bronquite, cálculo renal, catarro cistite, cólicas, laringite, diarreia, inflamações na pele, feridas, inflamações da garganta ou da pele.

Suas propriedades envolvem sua ação como vulneraria, vermífuga, tônica, relaxante, resolutiva, hipoglicêmica, hipertensora, hemostática local, emenagoga, diurética, depurativa, colerética, colagoga, cicatrizante, calmante, ansiolítica, antivirótica, antimicrobiana, anti-inflamatória, antidiarreica, analgésica e adstringente.

Como usar?

As folhas e flores devem ser usadas no preparo de infusões, decocções ou cataplasma. Para a infusão, você vai precisar de:

– 2 colheres de sopa das folhas da planta
– 1 litro de água

Em um recipiente, coloque a água e leve ao fogo. Quando começar a ferver, desligue e coloque as folhas. Tampe e deixe descansar por 10 minutos. Em seguida, coe e consuma. A dose indicada é de três xícaras ao dia.

Contraindicações e efeitos colaterais

A planta é contraindicada para mulheres gestantes ou em fase de lactação, ou ainda para pacientes que estejam gripados.

As doses acima do recomendado podem diminuir o ritmo das batidas do coração. Lembre-se: sempre antes de usar qualquer medicamento, mesmo que natural, procure orientação médica.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.