Publicado por Redação

Dorstenia brasiliensis é o nome científico da planta que pertence a família das Moráceas. Conhecida, popularmente, como caiapia verdadeiro, esta erva está presente em diversos lugares do mundos, mas é chamada por outros nomes.

Por exemplo, na Argentina é chamada de higuerrilla. No Brasil, a planta ainda recebe os seguintes nomes: chupa-chupa, conta-de-cobra e contra-erva.

Propriedades medicinais e benefícios do caiapia verdadeiro

Caiapia Verdadeiro

Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

  • Antiespasmódica: Previne o organismo de sentir espasmos no estômago, útero, intestino e bexiga;
  • Antidiarreica: Evita e trata a diarreia;
  • Antifebril: Diminui e evita a febre;
  • Antisséptico: Combate infecções e previne o surgimento de contaminações;
  • Consolidadora de fraturas: Ajuda o corpo a se recuperar de ossos quebrados;
  • Diaforética: Provoca maior sudorese, fazendo o corpo suar mais;
  • Diurética: Melhora a micção, estimulando o organismo a eliminar mais urina;
  • Emenagogo: Estimula o fluxo menstrual;
  • Emética: Consegue provocar o vômito.
  • Eupéptico: Facilita e auxilia a digestão;
  • Purgativa: Facilita a evacuação, evitando a prisão de ventre;
  • Tônica digestiva: Fortalece os processos digestivos;
  • Tônica: Promove energia e força para o corpo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Grávidas, lactantes e crianças não devem fazer uso do caiapia verdadeiro, tendo em vista que os seus respectivos organismos não estão prontos para receber os princípios ativos desta planta. Caso seja aplicada nestas situações, a erva pode prejudicar o desenvolvimento do feto, alterar o sabor e os benefícios do leite materno ou ser altamente prejudicial à saúde dos pequenos.

No entanto, nos demais casos e situações clínicas, este medicamento natural só deve ser introduzido no tratamento se for por indicação médica. Desta forma, é necessário que um médico seja consultado antes do paciente se automedicar com os remédios produzidos através desta planta.

Outra importante dica é com relação ao tempo de duração de uso deste remédio, ou seja, caiapia não deve ser usado por 30 dias seguidos, devendo ter um intervalo neste tratamento, evitando problemas com relação à coagulação sanguínea. Vale ressaltar ainda que, no caso das mulheres, pode surgir coagulação na menstruação e se isto for confirmado, a utilização deve ser interrompida imediatamente e um médico ginecologista deverá ser consultado.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.