Publicado por Redação

Em meados de 1980 a rhamnus purshiana – ou cáscara sagrada, como é popularmente conhecida no Brasil – deixou de ser apenas uma planta para tornar-se uma poderosa planta medicinal. Foi neste período que os americanos passaram à estudar as receitas indígenas sobre ela e descobrir seus poderes de cura para males diversos, onde grande maioria deles já foram confirmados por estudos complexos e tidos como verdadeiros.

Planta cáscara sagrada

Imagem: Reprodução

Os benefícios e propriedades da cáscara sagrada

O principal benefício da cáscara sagrada é auxiliar no processo digestivo do organismo. Esse remédio natural possui efeito imediato no organismo, e embora tenha efeito diurético e laxativo, não causa diarreias ou cólicas. Assim, além de fazer o intestino e bexiga funcionarem melhor por eliminar as toxinas e excessos do organismo, o uso da planta também é indicado para quem deseja emagrecer, já que ao eliminar toxinas perde-se o inchaço. É importante frisar, no entanto, que para perda de peso não houve comprovação científica de que o uso da cáscara sagrada traga benefícios de fato.

Estudos científicos e pesquisas comprovam, porém, que a cáscara sagrada realmente funciona para aliviar e curar males como fluxo menstrual irregular, prisão de ventre, infecção da vesícula biliar, distúrbios ou cálculos na mesma, tratamento de hemorroidas, diabetes, meteorismo intestinal, restabelecimento do tônus do cólon intestinal e infecções no baço.

Como utilizar a cáscara sagrada

A cáscara sagrada faz tamanho sucesso, que é possível encontrá-la em cápsulas e saches de chá em casas de produtos naturais. No entanto, muitos preferem utilizar produtos naturais in natura, ou em caso de dificuldade em encontrar estes produtos, basta colocar numa chaleira com água fervente as cascas da planta e deixar descansar por ao menos 10 minutos. Após esfriar, tome duas xícaras por dia, antes das refeições principais.

Alguns cuidados são essenciais ao utilizar a cáscara sagrada. Seu uso constante não é recomendado para ultrapassar 2 meses seguidos, pois pode causar inflamações no intestino, perda excessiva de líquidos e sais minerais, além de dores espasmódicas. Assim, caso inicie o uso da planta, faça em torno de 3 vezes por semana e durante apenas 1 mês, caso não sinta diferença busque um médico. Se desejar continuar com o uso, procure orientações médicas para não prejudicar seu organismo

Seu uso é contraindicado para pessoas grávidas, lactantes, que sofram de problemas estomacais – como úlcera e gastrite – ou ainda tenham refluxo.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.