Publicado por Redação

Facilmente encontrada por todo o Brasil, a catinga-de-mulata é uma planta de excelentes qualidades para a saúde humana. Com suas folhas secas é possível fazer um chá que além de tratar doenças no organismo, serve como um remédio natural para problemas externos. Conheça os benefícios e saiba como usar o chá desta erva.

Benefícios da catinga-de-mulata

Muito conhecida pela sua ação vermífuga, a catinga-de-mulata vai muito além do que uma planta medicinal que elimina vermes. Esta erva é indicada também no tratamento de doenças como reumatismo, gripes e resfriados, bem como na melhora de problemas na pele, no estômago e rins. Além do mais, é uma aliada das mulheres que têm problemas menstruais.

Por possuir uma substância chamada tujona, ela é capaz de eliminar diversos vermes do organismo humano e por isso pode ser usada em adultos e crianças. Outro benefício associado a esta planta é a sua capacidade de tratar insuficiências renais e pedras nos rins. Já quando o assunto é problemas digestivos, a catinga-de-mulata atua no bloqueio de indigestões, aumenta o apetite e elimina gases, flatulências, dor de estômago e etc.

Dores provocadas pelo reumatismo ou pela artrite são banidas com o uso do chá desta planta. Bem como os piolhos e as caspas. É possível tratar ferimentos e problemas relacionados à menstruação, como a amenorreia e a leucorreia.

Catinga-de-mulata

Foto: Reprodução/ internet

Receita e dosagem

Em um recipiente, despeje um litro de água e coloque ao fogo até que o líquido comece a ferver. Em seguida, adicione duas colheres das folhas secas de catinga-de-mulata e desligue o fogo. Tampe e espere por, aproximadamente, 10 minutos. Após o tempo determinado o chá já está pronto para o consumo, basta apenas coar.

A bebida tem um gosto agradável, não sendo necessário o uso de açúcar e nem adoçantes. A dosagem ideal é de até três xícaras por dia, até alcançar o tratamento desejado. Este chá pode ser usado tanto por via oral, quanto por tópica. Isso significa dizer, que pode ser aplicado na pele para tratar de problemas externos.

Cuidados e precauções

O uso da catinga-de-mulata, como já foi visto, é benéfico para diversos tratamentos. Porém, o uso do chá dessa planta deve ser seguido conforme a indicação dada, a de até três xícaras por dia. O excesso dessa bebida diariamente pode causar vômitos, mal-estar, tonturas, calafrios, diarreias e até mesmo, em casos mais graves, o surgimento de convulsões.

As grávidas não podem fazer uso desse remédio natural, uma vez que a erva possui substâncias tóxicas capazes de provocar abortos. Crianças menores de dois anos também não devem tomar esse chá, bem como as mulheres que estão em período de amamentação, correndo o risco de transmitir os elementos maléficos para os bebês através do leite materno e desencadeando uma infecção nos pequenos.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.