Publicado por Redação

A cistus incanus é uma planta silvestre, que pertence à família cistesae, arbustos com mais de 28 espécies do gênero cistus. Todas elas têm componentes medicinais benéficos, os mais importantes sendo encontrados na cistus incanus.

A planta é comumente encontrada no continente Europeu, em especial na região do mediterrâneo. Porém, já existem alguns cultivos no Brasil, principalmente para o uso ornamental.

A erva é reconhecida pelas suas folhas verde-acinzentadas e por suas flores de tom lilás e com uma textura enrugada. Por ser uma planta bonita, a cistus é ótima para ser plantada em jardins e casas.

Benefícios da cistus incanus

A cistus incanus é uma planta rica em polifenóis, que são substâncias químicas com ação antioxidante. Os polifenóis são produzidos pela própria planta como forma de defesa contra os raios ultra-violetas e predadores.

O consumo do arbusto pode ser feito tanto em forma de chás como também em cápsulas e sprays. Com o uso frequente, ela ajuda a aumentar a imunidade e a prevenir diversas doenças. Por ser rico em componentes antioxidantes a planta ainda ajuda no combate o envelhecimento precoce, por proteger as células da deterioração.

Flor de cistus incantus

Essa planta é caracterizada por suas flores lilás enrugadas (Foto: depositphotos)

Por ter ação de ajudar a fortalecer o sistema imunológico, o consumo da planta ajuda a evitar gripes e resfriados. Além disso, a planta tem ação antitumoral, prevenindo o aparecimento de câncer e tumores.

Além de auxiliar na prevenção de doenças, o chá da cistus incanus pode ser usado para higienização da boca e da garganta. Dessa maneira, prevenindo inflamações e mau hálito.

Caso opte por comprar as cápsulas de cistus incanus, é aconselhável a ingestão de uma por dia, logo após o café da manhã. O uso do spray é feito, frequentemente, borrifando na garganta para aliviar infecções.

Doenças que podem ser curadas com cistus incanus

Por ter uma grande quantidade antioxidantes, a cistus incanus pode ser usada no tratamento de várias doenças. Com a ação dos polifenóis, o chá da planta é um grande aliado para tratar infecções e inflamações, bem como gripes e resfriados.

Os benefícios do consumo da cistus incanus ainda se estendem para o tratamento de doenças cardiovasculares e do trato urinário. Confira algumas doenças que podem ser tratadas com o consumo da planta.

Veja também: Digital

Doenças de pele

Doenças de pele causadas por bactérias ou fungos, como micose, podem ser tratadas com a cistus incanus. Frequentemente para este tipo de problema, a erva é utilizada de forma vaporizada e passada em cima do problema.

O tratamento também pode ser feito com o uso do chá, da mesma forma ajudando a eliminar a doença.

Problemas urinários

Por ter ação diurética, o consumo do chá ou das cápsulas da cistus incanus, pode tratar problemas com infecções urinárias e na bexiga.

Ao mesmo tempo, o consumo melhora o sistema circulatório por ajudar na eliminação de impurezas do corpo, através dos líquidos que ficam retidos.

Doenças respiratórias

Por fortalecer o sistema imunológico e ter ação antioxidante, a cistus incanus é uma grande aliada, não só no tratamento, como também na prevenção de infecções.

Consumir frequentemente a planta ajuda a manter garganta e boca saudáveis, além de prevenir complicações causadas por essas infecções.

Tumores

A cistus incanus ainda tem papel importante na prevenção ao surgimento de tumores. Por ser um remédio natural, pode ser utilizado junto com os tratamentos convencionais, ajudando, ao mesmo tempo, a diminuir os efeitos negativos da quimioterapia e radioterapia.

Contudo, é importante lembrar, o tratamento convencional nunca deve ser abandonado. Ela deve servir como um complemento, para auxiliar na cura.

Receitas naturais com cistus incanus

O uso mais comum do cistus incanus é na forma de chás. Outra forma bastante encontrada a venda são as cápsulas, onde o principio ativo da planta é separado e, assim, potencializado.

As substâncias são apenas encontradas nas folhas da planta. Elas podem ser consumidas in natura, ou secas, como é mais comum de serem encontradas. Aprenda aqui como fazer o chá de cistus incanus.

Veja também: Cumacaa

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) rasa, de folhas de cistus incanus
  • 1 xícara (de chá) ou 240 ml de água

Modo de preparo

Primeiramente deve levar uma chaleira com a água até o fogo e deixar ferver. Após isso, desligar o fogo e acrescentar as folhas de cistus incanus. Logo após, colocar uma tampa e deixar em infusão por cerca de 10 minutos.

Após o chá pronto, beber imediatamente. Caso desejar, o chá pode ser adoçado com uma colher (de chá) de mel.

Cuidados com essa planta

Apesar de não possuir efeitos colaterais é preciso ter alguns cuidados com a cistus incanus. Mulheres grávidas devem fazer o consumo apenas com orientação médica.

Ainda por cima, o uso da planta também não deve ser feito por crianças menores de dois anos, nem por animais, sem a liberação prévia de especialistas.

Vale lembrar que nunca se deve abandonar tratamentos prescritos pelo médico, sem orientação prévia. Dessa forma, a erva deve servir como complemento.

Onde comprar cistus incanus

A cistus incanus pode ser encontrada facilmente em lojas pela internet. O mais comum é em sites de venda de remédios naturais, sob a forma de cápsulas, sprays e até mesmo as folhas desidratadas para o uso de chá.

Se você quiser ter o arbusto da erva no seu jardim, pode encontrar as sementes à venda. Os locais onde é mais fácil encontrar a cistus incanus, são:

  • Lojas de produtos naturais
  • Feiras de plantas
  • Sites de vendas de remédios naturais
  • Sites de vendas de sementes

Como consumir a cistus incanus

O consumo do chá pode ser feito diariamente. Já se escolheu consumir a cistus incanus em forma de cápsulas, o ideal é tomar uma, ou no máximo duas doses por dia.

O uso da erva vaporizada é ideal para o tratamento de micoses na pele, enquanto que o spray é específico para tratamento de infecções de garganta. O uso varia de acordo com o tempo de tratamento.

Veja também: Cruá

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.