Publicado por Redação

O cupai é uma planta exótica que apresenta uma beleza curiosa. Natural da Guiana, ela pertence à família das Gutiferáceas.

Dependendo do local onde essa espécie é encontrada, pode ser conhecida por vários outros nomes. Entre os principais, destaque para mata-pau e cebola-brava.

Assim como acontece com a maioria das plantas encontradas mundo a fora, ela pode ser aplicada em tratamentos dentro da medicina alternativa.

A espécie é considerada de médio porte, podendo variar entre três e 10 metros de altura. O cupai é conhecido na natureza como pseudoparasita, germinando sobre outras árvores.

Quando nova, o cupai se assemelha a um cipó, cujas raízes adventícias descem para o solo e nele se entranham, envolvendo e apertando a planta que as hospeda. Isso vem a causar a morte da planta por interrupção da circulação da seiva.

O cupai é conhecido na natureza como pseudoparasita

O nome científico da cupai é Clusia rósea (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

Características físicas do cupai

Quando adulto, o cupai possui madeira forte, compacta e dura, sendo aproveitada pelo homem na construção de cercas e como lenha. Ela apresenta cores que variam entre castanho avermelhada e vermelha. Suas folhas são opostas, com formato arredondado e largo na base, com comprimento variando entre sete e 15 centímetros. Essas mesmas folhas são grossas e muitas nervuradas.

Suas flores são polígamas, pedunculadas, solitárias ou geminadas, de seis pétalas. Elas chamam atenção pelas cores, brancas ou róseas com muitos folíolos imbricados, chegando a alcançar até quatro centímetros de comprimento.

Veja também: Cantarelo

Seu fruto é uma cápsula esférica, quase branca de cinco a oito centímetros de diâmetro contendo muitas sementes com arilo, deiscente na maturação.

Propriedades naturais do cupai

Na medicina natural, as partes da planta que podem ser utilizadas nos tratamentos de problemas relacionados à saúde são: a casca do tronco, as folhas, a resina do fruto e o látex extraído do caule.

A casca possui efeito adstringente sendo eficaz contra o reumatismo; já as suas folhas podem ser utilizadas para infusão peitoral.

Seguindo a lista de benefícios do cupai está a resina do fruto, que é resolutiva no tratamento de fraturas e entorses. Por último, mas não menos importante, está o látex amarelo e espesso. Ele possui gosto amargo, é balsâmico, purgativo e drástico, sendo indicado no tratamento das chagas do gado e muito valioso para a calafetagem de canoas e barcos.

Veja tambémCoroa de Cristo

Cuidados

Apesar de tratar-se de um ingrediente natural, antes de incluir o cupai em qualquer tratamento de saúde, o médico deve ser consultado.

Isso vai garantir que o paciente esteja resguardado da incidência de qualquer problema que venha a piorar o estado de saúde ou desencadear outras doenças, principalmente se o paciente for alérgico. Mulheres grávidas, lactantes e crianças pequenas não estão isentas dos cuidados.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.