Publicado por Redação

Epilóbio. Esse é o nome da planta medicinal pertencente à família das onagráceas (onagraceae) é originária do Hemisfério Norte, sendo assim, nativa da América do Norte e Europa. É um tipo de espécie pioneira, pois cresce facilmente em qualquer tipo de solo, principalmente nos tipos ácidos e de calcário, campos abertos, pastos e tem ainda a particularidade de crescer em terras queimadas e desmatadas.

Suas propriedades terapêuticas vêm sendo utilizadas há milhares de anos, como antiespasmódicos, ou como infusões para os pacientes que sofriam de tosses, asma e até mesmo para curar soluços. Suas folhas secas eram utilizadas como emolientes e adstringentes. Apesar de seus conhecidos efeitos fitoterápicos, o epilóbio também era muito usado como alimento. Diversas tribos indígenas americanas consumiam os brotos dessa planta cozidos, em sopas. Atualmente, no Alasca, balas, xaropes, gomas e até mesmo sorvetes são feitos a partir dessa planta.

Aspectos da planta

O epilóbio é uma planta que cresce de 70 centímetros a 1,5 metros. Possui folhas longas e perenes, que lembram muito o salgueiro. Suas flores são grandes, de dois a três centímetros de diâmetro, e possuem coloração cor de rosa ou púrpura, que desabrocham anualmente durante a primavera. Toda a planta pode ser utilizada.

Epilóbio é uma planta que cresce de 70 centímetros a 1,5 metros

Foto: Reprodução/ internet

Propriedades medicinais do epilóbio

Possui agentes que auxiliam na contração dos tecidos, aliviando assim a pele, tornando-a mais macia, quando aplicadas soluções externas. Uma boa referência é a mistura com açafrão contra hemorroidas. Mergulhe por três dias as flores e folhas do epilóbio em óleo de açafrão, e então, passe no local. Outras propriedades dessa planta se destacam como calmantes, adstringentes, antiespasmódicos, e até mesmo laxantes. Seus ativos emolientes são bastante úteis no tratamento de colites, mucosas e na síndrome do intestino irritável.

É beneficiária também de efeitos antiflogísticos, que trabalham diretamente contra problemas na próstata. É indicado seu uso, como infusão, no tratamento da hiperplasia benigna da próstata, por exemplo. Muito utilizada como pomada, para tratamento geral das doenças de pele em crianças, e como uma solução contra os soluços da coqueluche e outras tosses espasmódicas. O extrato dessa planta tem ativos capazes de diminuir a vermelhidão da pele causada por agentes químicos ou raios ultravioletas, bem como no tratamento de queimaduras. Sua ação antibacteriana ajuda no tratamento da acne, além de reduzir a produção de sebo e oleosidade da pele.

É rica em flavonoides, taninos, fitosteróis e ácidos triterpênicos. Até então os efeitos colaterais do uso dessa planta são desconhecidos, mas como tudo que existe na natureza, deve ser utilizada com cautela, evitando superdosagens.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.