Publicado por Redação

Algumas plantas, além de nos ganhar pelos benefícios, também nos encantam pela beleza de suas flores. Esse é o caso da spartium junceum, nome científico da planta giesta. Na primavera, os montes e bermas na estrada recobrem-se de amarelo e branco, saudando à todos que passam com a simplicidade, delicadeza e a graça desse arbusto.

É uma planta selvagem, que exala um cheiro de frescura e pureza, por essa razão, é muito usada no preparo de perfumes de qualidade e em determinados produtos de limpeza domestica. Além disso, há um tipo de chá que é preparado com essa planta, principalmente com as folhas brancas, que rende inúmeras ações benéficas à saúde humana.

História e características deste arbusto

O nome científico da giesta deriva da palavra grega spartion que designa as plantas produtoras de têxteis e empregadas para fazer ataduras. Sua origem está marcada na Europa e a mesma possui resistência a solos pobres e salinos, mas não tem tolerância a um clima de calor excessivo. Giesta também é conhecida por outros nomes populares, como retama e vassoura-espanhola.

Giesta

Foto: Reprodução/ internet

O seu arbusto pode medir de 1,5 a 3 metros de altura, tendo ramos finos, flexíveis, longos e verdes. Suas folhas são lanceoladas, pequenas, afiadas e esparsas, com essa parte a planta consegue reter líquido, e por isso é chamada de xerófita. Na ponta das folhas nascem as flores, que são perfumadas e podem ser de duas cores: brancas ou amarelas. Essas últimas são hermafroditas e florescem na primavera e verão. Já as de cor branca são uma rara variedade em cultivos.

Propriedades e benefícios da giesta

Essa leguminosa tem propriedades diuréticas. Sendo assim, a giesta pode ser uma ótima aliada para quem sofre com problemas desenvolvidos pela obesidade, uma vez que ela consegue desfazer a retenção de líquidos e eliminá-los. É também uma excelente alternativa para quem sofre com infecções urinárias. Além disso, por possuir esparteína combate doenças cardíacas.

Atenção ao consumo desta planta

A giesta pode representar um perigo para crianças e animais de estimação, tendo em vista que é uma leguminosa tóxica possuindo poderosos alcalóides. Sendo assim, é importante manter a planta longe do alcance dos pequeninos.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.