Publicado por Redação

A gilbardeira, também conhecida como azevinho espinhoso, azevinho pequeno, erva de vasculho, gilbaldeira, murta espinhosa, pica rato, giesteira das vassouras, entre outros nomes, pertence à família das liliaceae.

Conhecida desde os tempos mais antigos, a planta não é muito usada para fins medicinais, mas tem uso pelas camponesas, nesse período, para vasculhar as paredes antes de caiarem as casas. Eram usadas ainda para fazer vassouras, que, por sua vez, eram usadas para limpar casas e chaminés. As bagas eram tidas, por desconhecimento, como venenosas.

De nome científico ruscus aculeatus L., a planta é um arbusto vivaz que pode alcançar 1,5 metros de altura, e é bastante comum na Europa Mediterrânica, mas também presente no Sudoeste da Ásia e no Norte da África.

Apesar de seu valor ainda não ter sido reconhecido, a planta é usada em tempos natalinos para decoração, mas é dificilmente encontrada em jardins. Habita naturalmente matos e sub-bosques, preferindo locais mais frescos e sombrios, sem aguentar, no entanto, geadas fortes em locais com altitudes mais elevadas. Sua floração acontece de março a junho, e a maturação dos frutos de agosto a março.

Gilbardeira

Foto: Reprodução/ internet

Benefícios e propriedades

Pode ser usada em tratamentos de insuficiência venosa e as manifestações, que envolvem as varizes, flebites, fragilidade capilar e hemorroidas. O rizoma pode ser usado como coadjuvante no tratamento dos sintomas que estão associados à insuficiência venosa crônica, como pernas pesadas, cansadas e dolorosas, por exemplo.

Possui ação anti-inflamatória, diurética, antiflogóstica, protetora capilar e venotónica, além de atuar como antiexudativo, febrífugo e vasoconstritor. Pode ser usada ainda no tratamento de doenças como infecções das vias urinárias, gota, reumatismo, icterícia, febre, hemorroidas e varizes.

As partes da planta que devem ser usadas para fins medicinais são o rizoma e as raízes.

Contraindicações e precauções de uso

Apesar de não terem sido encontradas contraindicações e precauções de uso, assim como interações medicamentosas, é importante que, antes de fazer uso de qualquer medicamento, mesmo que natural, o paciente procure orientação médica.

Formas de consumo

Algumas pessoas fazem uso do chá para o tratamento com base na gilbardeira, que pode ser encontrada em lojas de produtos naturais. A proporção que deve ser usada é de uma colher de chá das raízes de gilbardeira picada para cada xícara de água. Cozinhe a raiz por alguns minutos, contando a partir do momento de ebulição. Depois desligue e tampe, deixando descansar. Depois de alguns minutos, coe e consuma. A dose indicada é de duas xícaras ao dia.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.