Publicado por Redação

Com o nome científico de Cariniana brasiliens, a jequitibá é uma planta originária do Brasil, mais especificamente da Mata Atlântica. Pode ser regionalmente conhecida como estopa, congolo de porco, jequitibá de agulheiro, jecuíba, pau carga, jequitibá cedro, jequitibá branco, jequitibá grande, sapucaia de apito ou jequitibá vermelho, entre muitos outros nomes. Pertencente ao grupo familiar Lecythidaceae, as jequitibás são conhecidas por serem as maiores árvores nativas do país, tanto em altura – podendo atingir até 50 metros – como em diâmetro – embora se diga que o máximo seja 2 metros de diâmetro, um exemplar já chegou aos surpreendentes 16 metros! A árvore é tão tradicional que ganhou ainda mais popularidade quando se tornou símbolo do estado de São Paulo – no Parque Estadual do Vassununga, em Santa Rita do Passa Quatro pode-se conferir alguns dos maiores jequitibás, inclusive o que possui 3.000 anos, 16 metros de circunferência e 49 metros de altura. Em geral, as folhas da árvore são ovaladas e levemente dentadas; suas flores são pequenas e alvas, encontrando-se em panículas terminais; e a casca da árvore possui superfície externa num tom pardo escuro e irregular, com diversas saliências. Não exala qualquer odor, mas seu sabor é consideravelmente amargo.

Jequitibá

Foto: Reprodução

Propriedades

Além de ser uma árvore tradicional no Brasil e quebrar diversos recordes, a jequitibá possui muitas propriedades medicinais benéficas ao organismo que a consome. Dentre elas, as mais importantes são: adstringentes, anti-inflamatórias, desinfetantes, descongestionantes, eméticas e laxantes.

Indicações e benefícios

O consumo de jequitibá é comumente indicado para infecções de garganta ou na boca, faringite, amidalites, infecções nas mucosas, anginas e laringites. O conhecimento popular também indica o uso da planta para combater leucorreia, irritações vaginais, e problemas nos ovários e útero. Para tanto, a planta pode ser preparada em forma de chá, lavagem íntima ou gargarejo.

Modos de preparo

As únicas partes da árvore destinadas a qualquer tipo de consumo são suas cascas. Para tanto, opte sempre pela que você encontrar triturada e corretamente tratada em casas de produtos naturais, farmácias e mercados. Não se arrisque a descascar qualquer árvore, pois elas se parecem e a possibilidade de cometer um erro e comprometer a própria saúde é muito grande.

Para preparar seu chá, leve ao fogo duas colheres de sopa da casca da árvore triturada, juntamente com um litro de água. Deixe ferver por dez minutos, então abafe e deixe repousar. Quando a temperatura estiver própria para consumo, coe, adoce e beba.

Para preparar o líquido para gargarejo ou lavagem íntima, repita a receita acima, apenas não adoce e utilize para os fins necessários. Não foram relatados efeitos colaterais advindos do consumo da casca da jequitibá, porém qualquer reação indesejada deve ser motivo para interromper o uso imediatamente e buscar auxílio médico.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.