Publicado por Redação

 

Com o nome científico de Piper methysticum, a kava kava pertence à família Piperaceae, a mesma família das pimentas. Com origem na Polinésia (sul do Pacífico) a planta era utilizada já há centenas de anos – estima-se que em torno de três mil anos – atrás para diversas finalidades no mínimo curiosas: as mulheres nativas das ilhas costumavam mascar as raízes e folhas da kava kava para que fosse formada uma massa, a qual cuspiam num vasilhame e misturariam com sucos de frutas, leite de côco e água, preparando assim um coquetel que seria servido em ocasiões especiais, como nascimentos, funerais e casamentos; a planta também fazia parte de rituais de danças religiosas e cerimoniais, pois produzia um efeito relaxante que era interpretado pelos presentes como uma espécie de transe. Fato é que, apesar da pouca informação e tecnologia disponíveis naquela época, não se conheciam relatos de que a kava kava houvesse causado mal a alguém. Assim, em 1775, durante uma viagem pelas Ilhas da Oceania, um europeu tomou conhecimento da planta e resolveu exportá-la. Tinha início a jornada da kava kava pelo mundo. A produção da kava kava permanece restrita às ilhas do Pacífico, mas agora seu extrato é exportado para diversos países, como Canadá, Austrália, Reino Unido e Brasil.

Kava kava

Foto: Reprodução

Propriedades e benefícios

As principais propriedades da kava kava são:

  • Analgésico;
  • Antidepressivas;
  • Antissépticas;
  • Ansiolíticas;
  • Antimicóticas;
  • Antimicrobianas;
  • Anticonvulsivantes;
  • Antiespasmódicas;
  • Anestésicas;
  • Relaxantes;
  • Sedativas;

Estudos comprovaram que a kava kava possui grande eficiência para auxiliar no tratamento de doenças como depressão, ansiedade, síndrome do pânico, insônia e outros males, como angústia, nervosismo e estresse. Ela é capaz de relaxar os músculos esqueléticos, sem causar qualquer reação sobre os músculos respiratórios, sendo menos arriscada do que alguns medicamentos farmacêuticos. Também se observou que sua ação possui duração maior do que alguns medicamentos – como diazepam. A kava kava ainda induz ao sono e age como analgésico em casos de enxaquecas e dores de cabeça.

Efeitos colaterais e contraindicações

O uso prolongado ou em grandes doses de kava kava pode provocar insuficiência hepática, espasmos musculares, movimentos musculares involuntários, distonia, adinamia e cansaço. Em casos graves a planta poderá atacar o fígado e causar icterícia – deixando mucosas, pele e unhas em coloração amarelada.

Seu consumo é contraindicado para crianças menores de 12 anos, gestantes, lactantes e pessoas portadoras do Mal de Parkinson. É importante frisar que, assim como no caso de medicamentos farmacêuticos, a kava kava é uma planta medicinal e seu uso necessita de receita médica e acompanhamento médico especializado.

Modos de utilização

A kava kava poderá ser utilizada através de tintura (líquido) ou de cápsulas que contenham seu extrato seco ou pó. No entanto, a maneira mais indicada e a posologia será definida pelo médico de acordo com a necessidade de cada paciente.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.