Publicado por Redação

Também conhecida como Lupulus, esta planta pertence à mesma família da maconha e possui propriedades e benefícios diversos que tornam seu uso como planta medicinal muito comum. Originária da Europa, é uma planta trepadeira que nasce em locais de climas moderados e se apresenta em duas formas distintas, macho e fêmea.

Lúpulo

Foto: Reprodução

Presente na cerveja, o lúpulo é usado para estabilizar os aromas e sabores da bebida que, além de ser uma paixão do povo brasileiro, quando aliada a uma rotina de hábitos saudáveis, alimentação balanceada e atividade física, pode trazer benefícios para a saúde.

Propriedades e benefícios

Com aplicação na culinária e na área medicinal, a planta conta com propriedades soníferas e calmantes, anafrodisíaco, relaxante muscular, antibacteriano, anódino, antisséptico, diurético, antiespasmódico, febrífugo, emenagogo, galactagogo, soporífero, tônico amargo, fitoestrogênio, laxante, nervinho e sedativo.

O chá é indicado em casos de insônia, agitação, úlcera, ansiedade, taquicardia, dores de cabeça, espasmos, fraqueza dos nervos, tensão nervosa e para realizar a limpeza do sangue, livrando-o das impurezas. O lúpulo é utilizado ainda em casos de anorexia, caspa, diarreia, doença de Crohn, dor de dente, problemas estomacais, problemas respiratórios, histeria, problemas de pele, hanseníase e irritações intestinais.

Para insônia, é indicado ainda que se coloque um sachê com a planta dentro do travesseiro, fazendo com que a pessoa desfrute das propriedades calmantes durante o sono, auxiliando no alcance de uma noite tranquila com sono mais estável.

Uma pesquisa realizada em ratos indica que o lúpulo também inibe o aumento do peso corporal e do tecido adiposo, e foi capaz ainda de melhorar a intolerância à glicose, evitando o desenvolvimento do diabetes. Outro estudo afirma que ainda possui funções neuroprotetoras, melhorando o fluxo sanguíneo cerebral, inibindo respostas inflamatórias, a morte celular programada e a formação de coágulos. No entanto, estes benefícios ainda não são buscados por médicos no uso medicinal da erva.

Como fazer o chá?

A quantidade usada de erva é de duas colheres de sopa da erva para cada um litro de água. Coloque a água em um recipiente, adicione a erva e leve ao fogo. Deixe até alcançar fervura e, em seguida, desligue o fogo e tampe. Deixe descansar por aproximadamente dez minutos, coe e beba. O consumo indicado é de duas a três xícaras por dia.

Contraindicações

A erva não pode ser consumida por pessoas com câncer, diabetes, nem por mulheres gestantes ou em fase de amamentação.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.