Publicado por Redação

A planta murta, também conhecida como marta, pertence a um gênero botânico com mais de uma espécie de plantas com flores, que pertencem à família das myrtaceae e são nativas do sudoeste da Europa e do Norte da África.

Arbustivas, as plantas podem alcançar até 7 metros de altura, e é bastante usada para fazer cercas-vivas e apresenta uma ramagem bastante ramificada e lenhosa. As folhas possuem entre 3 e 7 folíolos pequenos e são pinadas, com coloração verde-escura. Durante o ano inteiro, tem flores com coloração branca ou branca-creme, e o perfume lembra o cheiro da jasmim e da flor-de-laranjeira. Seus frutos são do tipo baga, carnosos, oblongos e pequenos, que têm coloração vermelha alaranjada.

Os ramos, antigamente, eram usados para criar arranjos para adornar os cabelos de noivas e também são adequadas para o bonsai, pois tem folhas pequenas e bonitas flores. Resistente, a murta pode ser plantada e cultivada em lugares secos e abrigados. Não se deve regar excessivamente e é preciso proteger do frio e da geada. A planta, entretanto, é bastante sensível às cochonilhas, pulgões, nematódeos, mosca-branca e clorose férrica.

Murta

Foto: Reprodução/ internet

Histórias

A planta faz parte de histórias e lendas diversas, sendo bastante mencionada na mitologia grega, quando era dedicada às deusas Afrodite e Vênus. Os poetas da antiguidade clássica coroavam heróis e suas esposas com a planta, que simbolizava o amor feliz.

Durante muito tempo, a planta também foi um dos condimentos mais usados na Europa, até que as especiarias orientais começaram a aparecer e passaram a ser as preferidas. Nas ilhas mediterrâneas, entretanto, continuam importantes.

Propriedades

As folhas da planta possuem ação expectorante, assim como antisséptica do aparelho respiratório, sendo bastante útil em casos de sinusite, tosse e bronquite. A planta pode ser usada ainda no tratamento de diversos problemas do aparelho genito-urinário como cistite, uretrites e corrimentos vaginais.

Quando usada externamente, pode ajudar a tratar problemas de pele como psoríase, acne, infecções nas gengivas e hemorroidas. Seu óleo essencial pode ser usado para a fabricação de sabonetes e produtos cosméticos.

Culinária

A planta pode ser usada ainda na culinária, usando as folhas, flores e bagas tanto secas quanto frescas. As folhas frescas são usadas para guarnições e saladas e combinam bastante com o tomilho e segurelha para o tempero de pratos com carne, e com funcho para o tempero de peixes.

Ao Sul da Itália, as folhas da planta são usadas para envoltório na fabricação de pequenos queijos.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.