Publicado por Redação

A polígola amarga é uma erva pertencente à família das poligaláceas, e pode alcançar até 70 centímetros de altura. Suas raízes são ramificadas e retorcidas, e apresentam um sabor amargo, enquanto as folhas são lanceoladas e contam com pequenas flores que tem coloração azulada ou rosada.

A planta silvestre prefere ambientes úmidos e sombreados para se desenvolver, e pode ser encontrada para fins medicinais em lojas de produtos naturais.

Propriedades e benefícios

As substâncias ativas da planta são os taninos, saponinas, azeite essencial e princípios amargos, que concedem suas propriedades expectorantes e emolientes. Em decorrência disso, pode ser usada no tratamento de bronquite, catarro, tosse, asma, enfermidades dos ossos, sudorífero, falta de apetite, hidropisia, transtornos do estômago, transtornos dos rins, reumatismo, gota, abscessos, feridas, entre outros. Pode ser usado ainda para depuração do sangue e para estimular a produção de leite materno.

Como usar

Polígola amarga

Foto: Reprodução/ internet

A planta deve ser usada na forma de infusão ou tônico. Para preparar a decocção, você deverá cortar 90 gramas das raízes em pedaços e colocar em meio litro de água. Leve ao fogo e, quando começar a ferver, deixe por cinco minutos e então desligue e tampe. Deixe amornar, e então coe e consuma durante o dia.

Um xarope expectorante pode ser preparado com a maceração de 10 g de raízes adicionadas a 40 ml de água fria. Deixe durante 12 horas e, depois disso, filtre e guarde em um recipiente limpo. Macere novamente os restos das raízes em 80 ml de água fria durante mais duas horas, e então filtre e junte com o líquido armazenado anteriormente. Ferva a mistura durante um minuto e filtre novamente. Adicione 200 g de mel e dissolva bem, até formar uma mistura homogênea. Tome em colheradas durante o dia, sempre perto das refeições.

Precauções e contraindicações

Quando administrado em altas doses, pode causar diarreia e vômito. Não foram encontradas contraindicações nas literaturas consultadas, mas é importante sempre consultar um médico antes de consumir quaisquer medicamentos, mesmo que naturais.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.