Publicado por Redação

Originária do Brasil – mais especificamente de lugares úmidos da Mata Atlântica e da Amazônia – a quina possui o nome científico Coutarea hexandra. Trata-se de uma árvore de copa globosa e tronco baixo, muito bela e ornamental, sendo comumente utilizada em paisagismos. Popularmente, a quina pode ser conhecida em algumas regiões como quina de Pernambuco, quina-quina, quina do Piauí, quina do Pará, quina de dom Diogo, quineira e quina branca.  Além de seu uso decorativo, a quina também possui diversas propriedades medicinais benéficas para a saúde, o que a fez ser explorada de forma intensa, tornando-a uma árvore rara e muito valiosa.

Quina

Foto: Reprodução

Propriedades e ativos

As principais propriedades da quina são adstringentes, anti-inflamatória, antimaláricas, cicatrizantes e tonificantes.

Os ativos que a constitui são alcaloides, essências, princípios amargos, quinino e taninos.

Indicações

O consumo da quina é indicado para pessoas anêmicas, diabéticas, que sofram de gastrite e outros distúrbios estomacais, intestino preguiçoso, inflamações e febres. Quem sofreu algum tipo de ferimento, queda ou mesmo uma cirurgia também pode consumir a quina para ser beneficiado por suas propriedades cicatrizantes e anti-inflamatórias, que aceleram o processo de recuperação e aliviam a dor.

Contraindicações e efeitos colaterais

Por ser um agente abortivo, a quina é fortemente contra indicada para mulheres gestantes e lactantes, e também não deve ser consumida por crianças menores de dez anos.

O consumo da quina deve ser acompanhado por orientação médica e iniciado apenas após receber as devidas orientações. Em doses exageradas, a quina pode causar dores de cabeça, irritação gástrica, convulsões, cegueira, colapso, dores abdominais, paralisia, surdez e tontura. Lembre-se de que qualquer tratamento medicinal – fármaco ou natural – deve ser levado a sério e ser acompanhado de perto por um especialista de confiança desde o início.

Modo de preparo

Você encontrará a quina em farmácias e lojas de produtos naturais, em sua forma seca e triturada, pronta para o preparo de seu chá. Basta levar ao fogo meio litro de água e uma colher de sopa da planta. Tampe a chaleira e deixe ferver por dez minutos. Após esse período, desligue o fogo e mantenha a chaleira tampada por mais dez minutos. Então, quando a temperatura estiver adequada para consumo, coe e beba duas vezes ao dia, se possível antes das principais refeições. Repita o procedimento durante no máximo uma semana.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.