Publicado por Redação

Sabe aquela rinite alérgica que em pessoas de qualquer idade causa extremo desconforto? Ou ainda aquelas perturbações em crianças provocadas por lombrigas (oxiúros)? Pois bem. Tais complicações que atingem a saúde humana não representam mais um problema difícil de ser aliviado. Conheça sabadilla, a planta com propriedades medicinais com poder de auxiliar na cura dessas enfermidades.

Pertencente à família das liliáceas, a sabadilla possui de três a quatro metros de altura. Suas sementes têm cor preta e sabor acre. Suas partes aplicadas para uso humano são as sementes e os frutos secos. Como princípio ativo, a sabadilla possui a veratrina, enquanto que na sua composição como tintura-mãe, elaborada a partir da semente seca, há a presença de alcaloides tóxicos.

Origem e habitat

Originária da América Central, sobretudo no território do México, a sabadilla (cevadilha) é um vegetal herbáceo com habitat predominante também na Guatemala e Venezuela. No passado, seu uso ocorria na forma de pó como método de combate a piolhos.

Sabadilla

Foto: Reprodução/ internet

 

Indicação medicinal

A sabadilla é indicada em casos de rinite alérgica caracterizada por espirros fortes e constantes, sensação de nariz extremamente congestionado (mesmo com escorrimento de fluido nasal) e lacrimação irritante.

Assim como em problemas respiratórios, a sabadilla também se mostra eficaz no tratamento de perturbações causadas pelas lombrigas (oxiúros) em crianças. Esse tipo de transtorno causa no paciente irritabilidade sujeita às lombrigas, existência de prurido no nariz e no ânus, cólicas abdominais e apetite irregular.

Ingestão da sabadilla

Transformada em medicamento homeopático, a sabadilla deve ser ingerida uma vez ao dia, sendo uma pílula ou uma colher das de chá (no caso da versão líquida). Há alguns homeopatas que recomendam a ingestão de uma dose única para que haja um efeito mais rápido. Entretanto, também há quem discorde e recomende a dose em proporção menor.

Após a ingestão da sabadilla, o paciente deve aguardar um período mínimo de 30 minutos para o alívio inicial dos sintomas. Entretanto, há casos em que os mesmos podem sofrer um rápido e momentâneo agravamento. Essas situações indicam uma piora homeopática. Ou seja, o medicamento também está fazendo efeito, porém, o mesmo pode ser excessivamente forte para o organismo do paciente.

Havendo o desaparecimento dos sintomas ou em caso do agravamento dos mesmos por um período considerável, a ingestão do medicamento à base de sabadilla deve ser suspenso. Todavia, antes de ingerir o vegetal é importante consultar um profissional homeopata.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.