Publicado por Redação

A saia-branca, de nome científico Brugmansia suaveolens, é uma planta medicinal pertencente ao gênero Brugmansia e à família das Solanaceae. Originária da América do Sul e encontrada em várias regiões do nosso país, esta planta também é conhecida por outras denominações, tais como: trombeta, trombeteira, trombeta-de-anjo, canudo, cartucheira e zabumba.

Devido às suas grandes flores, a saia-branca é utilizada como planta ornamental e na medicina como fitoterápicos, principalmente para auxiliar no tratamento de problemas do coração e para combater distúrbios intestinais. A principal substância ativa desta planta é a escopolamina, e ela também contém atropina e hiosciamina. A saia-branca pode ser encontrada à venda em lojas de produtos naturais, algumas feiras livres e farmácias de manipulação.

Saia-branca

Foto: Reprodução

As propriedades da saia-branca

As propriedades da saia-branca são as seguintes:

  • Ação antiasmática;
  • Cardiotônica;
  • Dilatadora;
  • Emética;
  • Anticonvulsivante;
  • Narcótica.

Os benefícios e as indicações de uso

A saia-branca pode ser de auxílio no tratamento dos casos de mal de Parkinson, problemas cardíacos, infecções urinárias e tensão pré-menstrual. Os efeitos decorrentes da ingestão da infusão desta planta são o alívio de espasmos musculares, broncodilatação, delírios, perda de consciência e alucinações.

O uso da saia-branca como droga se popularizou no Brasil e, por isso, a sua circulação no país é controlado pelo Ministério da Saúde, conforme especificado em portaria da ANVISA. As partes utilizadas da planta são as suas flores, folhas e sementes para o preparo de chás e infusões, mas, atenção! A saia-branca é bastante tóxica em excesso e a sua utilização pode resultar em coma e morte. Por isso, recomenda-se que as preparações sejam adquiridas em farmácias de manipulação e apenas sob orientações médicas.

Efeitos colaterais e contraindicações

Os efeitos colaterais da ingestão de saia-branca incluem náuseas; olhos, boca e pele seca; vômitos; aumento da frequência cardíaca; dilatação das pupilas; rubor da face; estado de agitação; alucinações e vertigens; hipertermia e, nos casos mais graves, pode levar ao coma e à morte. O consumo desta planta é contraindicada para gestantes, mulheres no período de amamentação e crianças menores de 12 anos de idade.

Precauções

Como já foi dito, a saia-branca é uma planta bastante tóxica se utilizada de forma errônea, por isso, lembre-se que um especialista deve ser consultado! A automedicação pode ser muito perigosa e sempre é preciso consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento, inclusive com remédios naturais.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.