Publicado por Redação

O tabaco, de nome científico nicotiana tabacum, é uma planta da família das solanaceae, também conhecida como erva-santa e fumo. Nativa das Américas Tropical e Subtropical, é uma planta anual robusta que pode chegar a atingir até 2,5 metros de altura, pouco ramificada, com grandes folhas verdes e flores brancas.

Existem mais de 60 espécies do tabaco, no entanto, apenas a nicotiana tabacum sintetiza a nicotina, um alcaloide que estimula a síntese de dopamina no cérebro, provocando uma sensação de bem estar.

Propriedades e benefícios

Os princípios ativos do tabaco incluem a nicotina, cotinina, miosmina, nicotirina, anabasina e nicotelina. Além disso, nesta planta também são encontradas várias outras substâncias, dentre as quais estão algumas muito tóxicas, como a terebentina, o formol, amônia e naftalina.

Tabaco

Foto: Reprodução/ internet

O tabaco é uma planta bastante controversa e polêmica: no passado, acreditava-se que o tabaco era um ótimo remédio para muitas doenças, dentre as quais estão as dores de cabeça, males do estômago, úlceras, enxaqueca, gengivite e dor de dente. No entanto, a partir do século XVII, esta planta começou a receber críticas e, em meados do século XX, algumas pesquisas científicas comprovaram que o tabaco provoca câncer.

No contato dos colonizadores portugueses com os indígenas brasileiros, os primeiros aprenderam a usar a planta como cicatrizante de feridas e como fumo para espantar o tédio. Em Portugal, a planta passou a ser chamada de “erva santa” ou “erva das índias”, devido às suas propriedades medicinais, como anti-inflamatória, antiparasitária, hipertensora, narcótica, sedativa, vermífuga e inseticida.

Embora tenha sido usada para tratar doenças no passado, a eficácia de seu uso medicinal ainda não comprovada. Nos últimos anos, pesquisadores israelenses modificaram geneticamente o tabaco e, a partir dele, criaram a artemisinina, uma droga que age rapidamente contra a malária.

Modos de usar o tabaco

As formas de uso mais comum do tabaco são fumá-lo ou inalá-lo através de cigarro, charuto, cachimbo e rapé. A infusão de suas folhas pode ser usada externamente para tratar sarna, piolhos, carrapatos, dores de dente e picada de insetos.

Contraindicações e efeitos colaterais

O tabaco é contraindicado para crianças, gestantes e nutrizes. O consumo da planta na forma de cigarro pode causar várias doenças, como câncer, enfisema pulmonar, infecção das vias respiratórias e pneumonia.

Quando utilizado em altas doses, pode reduzir a pressão arterial, causar tremores nas mãos, cefaleia, tontura, fraqueza nas pernas, perda de apetite, salivação, espamas, dores do peito, problemas na digestão, náusea, diarreia, vômitos e falência cardiorrespitatória.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.