Publicado por Redação

Nesse post você irá descobrir tudo sobre a taioá. Para que serve, quais os benefícios,  propriedades e ainda onde encontrar essa planta medicinal.

A taioá é uma planta nativa do Brasil e pode ser conhecida por diversos nomes. Os mais comuns são cabeça de negro, taioá do fruto encarnado e taiuiu. O nome científico da erva é trianosperma tayuya, Martins e ela é usada para diversos fins medicinais.

Isso porque ela é uma planta fácil de ser encontrada em diversos estados brasileiros e é rica naturalmente em flavonoides. Essas são substâncias anti-inflamatórias e diuréticas.

Além disso, o chá que é feito com a raiz da erva pode ser de grande ajuda para quem quer perder peso. Confira aqui todos os benefícios da planta e como usá-la. 

O que é taioá?

A taioá é uma planta da família da curcubitaceae, que é nativa do Brasil, bastante comum e usada em diversas regiões. A erva é um arbusto com raízes longas que apresentam uma textura esponjosa e cor amarelada.

Planta taioá

As partes dessa planta ricas em benefícios são as raízes (Foto: Alex Popovkin | Reprodução Wikimedia Commons)

A parte utilizada na medicina popular é a raiz da planta, a qual é tuberosa, sendo essa a sua principal característica. Isso significa que elas ficam embaixo da terra e fazem uma reserva de água e amido, da mesma forma como acontece com as batatas.

As folhas são simples e ovaladas e ela também dá pequenos frutos vermelhos. A taiuiu é muitas vezes chamada de abóbora d’anta, outra planta da mesma família que também possui propriedades medicinais.

Para que serve?

A taioá é muito usada por populações indígenas para o alívio de dores e para tratar picadas de animais peçonhentos, como cobras. Na crença popular, a planta tem capacidade de neutralizar o veneno presente na mordida do animal.

Outros usos da erva são: tratamento de prisão de ventre e eliminação do acúmulo de líquidos no corpo, principalmente durante o período menstrual. Isso acontece pois a planta possui propriedades diuréticas que ajudam na eliminação dessas substâncias através da urina.

A raiz da planta também é usada no tratamento de dores musculares e nas articulações, também chamadas de mialgias e artralgias. Do mesmo modo ela auxilia no tratamento de enfermidades reumáticas que causem dores.

Em crianças e adolescentes, a erva ajuda a diminuir as dores causadas por epifisiólise. Essa é uma doença onde o fêmur acaba se deslocando um pouco e é muito confundida com dores musculares. Essa enfermidade é mais comum em crianças e adolescentes que passaram por uma fase de crescimento muito rápida ou estejam acima do peso.

Ela também pode ser usada para o tratamento de erisipsela,  uma doença de pele que causa feridas dolorosas. Além de auxiliar na digestão.

Por fim, o chá que é feito com a raiz da planta também é usado como aliado na perda de peso. Ele funciona tanto ajudando a diminuir a retenção de líquidos, quanto aumentando a sensação de saciedade. Dessa maneira, há um maior controle na compulsão por comida.

Quais as propriedades medicinais da taioá?

A taioá apresenta diversas propriedades medicinais que foram descobertas após diversos estudos sobre a sua utilização. A mais notável é a presença natural de flavonoides que atuam como anti-inflamatório e diurético no organismo.

Além disso, a erva tem capacidades analgésicas e depurativas. Isso significa dizer que ela ajuda na purificação do sangue.

Outras propriedades verificadas nela são as eméticas já que algumas formas de consumo ajudam a provocar o vômito e auxiliam em casos de envenenamento por ingestão.

A planta ainda é purgativa, pois ela ajuda a regular o sistema intestinal e tratar a prisão de ventre. Por fim, é classificada como antissifilítica, uma vez que ela tem capacidade de impedir a reprodução de vírus  no organismo.

Como consumir?

Como já mencionado, as partes usadas da planta para fins medicinais são as raízes. Mas para aproveitar dos benefícios dessa erva, é preciso limpar bem essas partes e fazer um chá cozinhando as raízes em água filtrada.

Além disso, também é possível consumir as cápsulas com doses pequenas dessa parte da planta. O princípio ativo da erva também pode ser consumido através da tintura.

Nesse último caso, trata-se do extrato retirado das raízes da planta que deve ser diluído em água antes de beber. Um outro modo de uso para quem não consegue encontrar a planta ao natural é o pó. Ele pode ser consumido em cápsulas ou usado para fazer o chá.

Para preparar o chá basta colocar uma colher (de sopa) de raiz de taiuiu para ferver com 500 ml de água filtrada ou mineral. Quando a água ferver, adicione a erva e deixe cozinhar por aproximadamente 10 minutos.

Logo depois, você precisa separar as partes sólidas e o chá estará pronto para o consumo. Caso deseje, pode adoçar a mistura com um pouco de mel ou açúcar mascavo. O ideal é consumir a bebida no máximo três vezes por dia em adultos e uma vez por dia em crianças.

Onde encontrar?

A taioá pode ser encontrada em sua forma natural em feiras e regiões próximas a matas ou cerrado. Contudo, caso deseje comprar ou encontrar a planta assim é bom se certificar antes, já que ela pertence a uma família com diversas plantas muito parecidas.

Também é possível encontrar a erva em lojas online de produtos naturais e remédios fitoterápicos. Dessa forma, é possível comprar a raiz da erva já seca e pronta para o uso ou o extrato concentrado das raízes. Esse último é chamado de tintura e deve ser consumido diluído em água. O pó das raízes em cápsulas também são encontrados para compra nesses locais.

Contraindicações

Como toda planta medicinal a taioá também possui algumas contraindicações. Portanto, ela não é indicada para mulheres grávidas, já que não se sabe ainda quais efeitos ela pode ter sobre o feto.

Mulheres que estejam amamentando também devem evitar o consumo, pois as substâncias podem passar para o bebê através do leite e causar diarreia.

Outros grupos de pessoas que não podem consumir a erva são as que sofrem com diarreia crônica ou outras doenças que causem irritação no intestino. Nesses casos, as substâncias presentes na planta podem agravar os quadros da doença e causar consequências como desidratação.

Por fim, é importante nunca ultrapassar a dose diária recomendada de até três xícaras de chá ou extrato diluído. No caso das cápsulas, o indicado é o consumo de no máximo três.

Outros cuidados que se deve ter com a taioá

Os cuidados que se deve ter com o consumo da taioá são iguais para todas as outras plantas medicinais.

Em primeiro lugar, é importante sempre respeitar as contraindicações e procurar um médico antes de realizar qualquer tratamento.

Em segundo e último lugar, é necessário sempre ter a certeza de que a planta que se está comprando é a verdadeira. Isso é preciso pois existem diversas plantas parecidas, mas que possuem finalidades diferentes.