Publicado por Redação

Conhecida como uva espim, esta planta pertence à família das Berberidaceae e tem como nome científico Berberis vulgaris L. Também chamada de uva do monte, a erva trata problemas relacionados ao sistema digestivo, à pressão sanguínea etc.

Possui ainda uma versatilidade de propriedades que estão distribuídas entre as cascas da planta, as folhas e frutos. Para aproveitar melhor os benefícios deste produto natural, é preciso acompanhar sua composição e as formas de utilização.

Propriedades medicinais

Uva Espim

Foto: depositphotos

  • Antimicrobiano;
  • Antipirético;
  • Aperiente;
  • Colagogo;
  • Colerético;
  • Diurética;
  • Eupéptico;
  • Espasmolítico;
  • Gástrica;
  • Hipotensora;
  • Laxante;
  • Oxitócico;
  • Protozoocida;
  • Refrescante;
  • Tônico amargo.

Benefícios desta planta

Uva espim pode ser usada no tratamento de distúrbios em todo o sistema digestivo, desde a boca até o intestino. Por isso, ela protege o organismo contra espasmos gastrointestinais, problemas no estômago e no intestino, falta de apetite e inflamações na boca. Esta planta ainda é indicada no combate à febre, perturbações circulatórias, renais e da vesícula.

A erva também pode ser aplicada em casos de infecção do fígado, cálculos urinários, dispepsias hiposecretoras e disquinesia. Pessoas com pressão alta, icterícia e litíase biliar podem fazer o uso deste produto natural.

Modo de usar a uva espim

O consumidor pode usar a erva através da infusão feita com uma colher (de chá) de folhas e frutos da uva espim e uma xícara de água fervente. Depois de misturar os ingredientes, é preciso deixar o recipiente tampado por até 10 minutos. O resultado deste processo pode ser consumido de duas a três vezes por dia, até alcançar os objetivos desejados.

A raiz da uva espim também pode ser utilizada para preparar uma infusão. Para isso, é necessário colocar 0,6 gramas de raiz seca da uva espim em 100 ml de água. Após o preparo, deve-se tomar três xícaras diárias do chá.

Contraindicações e efeitos colaterais

Este produto não deve ser utilizado por grávidas e nem por mulheres que estejam amamentando, isto porque a planta pode trazer prejuízos tanto para o bebê como para a mãe. Pessoas com problemas nas vias biliares também não devem usufruir desta planta.

Além disso, o uso de uva espim deve seguir a risca o recomendado, tendo em vista que o consumo exacerbado da erva pode causar intoxicação no organismo, provocando vômitos, diarreias, náuseas, paralisia do centro respiratório e afecção nos rins.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.